SÃO JOÃO NEPOMUCENO - JAN NEPOMUCKY

134 ANOS OU 173 ANOS?



Por José Carlos Barroso

Desde que começamos a estudar profundamente a historia de nosso Município muito nos intrigou as controvérsias de datas, até que levado pelas explicações e estudos do historiador e professor Cláudio Heleno Machado, resolvemos suscitar questões, sabedores de que qualquer atitude poderia estar revolucionando uma historia contada há tempos nos bancos escolares.

Foi como Superintendente da Fundação Cultural São João Nepomuceno, e no ano de 2003, que escrevendo a história do Município, seus grandes vultos, e suas instituições através dos tempos, além de algumas curiosidades, com as quais nos deparamos ao longo de nosso trabalho, é que propusemos uma reconstrução, um resgate mesmo, dos fatos históricos esperando que nossas autoridades aceitassem nossas posições e ponderações em torno da questão e se unissem e comungassem conosco desse esforço.

Infelizmente assim não entenderam, e todo o nosso esforço, foi interrompido, até que somente agora no ano de 2010, que a Fundação Cultural, acatando os nossos estudos e, ainda do historiador André Cabral, aquela proposição revolucionaria da história foi levada até nossa Câmara de Vereadores, quando então vimos coroada nossa proposição, isto em 29 de abril de 2010.

Não passam elas de simples afirmações evasivas e desconexas, são todas oriundas de profunda pesquisa e estudo além de serem embasadas no relato e conhecimento de grandes nomes e de importantes historiadores, como o Cônego Raimundo Trindade, Celso Falabella de Figueiredo Castro, Dr. José de Castro Azevedo, Dr. Paulo Roberto Medina, Padre Dr. José Vicente César, Professor Cláudio Heleno Machado, Professor Antonio Henrique Duarte Lacerda do Arquivo Público de Juiz de Fora, e agora André Cabral, dentre outros, todos amparados por rica bibliografia oriunda de arquivos, jornais e livros.

O importante é que não esmorecemos e, sempre esperamos, que nossas autoridades permanecessem solidárias à nossa proposta e pudessem endossá-las unindo esforços na tentativa de reconstrução e recuperação da história de nossa São João Nepomuceno

Para que nossos jovens, e crianças em particular pudessem ter em mãos um compêndio contendo um pouco de nossa história, para suas pesquisas, e conhecimento, e que nossos professores deste trabalho se utilizassem para seus estudos e informações profissionais, apresentamos no ano de 2003 no Jornal O SUL DA MATA, a primeira edição dessa historia tão rica.


E foi com este mesmo pensamento que abraçamos a ideia e que só agora entregamos a todos por este blog São João Nepomuceno (JAM NEPOMUCKY como o fruto de uma união de pensamentos e esforços.

quarta-feira, 5 de maio de 2010


123 anos ou 162 anos?

Por José Carlos Barroso

(Este artigo foi escrito no ano de 2003)
Desde que começamos a estudar profundamente a historia de nosso Município muito nos intrigou as controvérsias de datas, até que levado pelas explicações e estudos do historiador e professor Cláudio Heleno Machado, resolvemos suscitar questões, sabedores de que qualquer atitude poderia estar revolucionando uma historia contada há tempos nos bancos escolares.
Agora nós da Fundação Cultural São João Nepomuceno escrevendo a historia do Município, seus grandes vultos e suas Instituições através dos tempos, além de algumas curiosidades com as quais nos deparamos ao longo de nosso trabalho, vimos propor uma reconstrução dos fatos históricos esperando que nossas autoridades aceitem nossas posições e ponderações em torno da questão e se unam e comunguem conosco desse esforço.
Não passam elas de simples afirmações evasivas e desconexas, são todas oriundas de profunda pesquisa e estudo além de serem embasadas no relato e conhecimento de grandes nomes e historiadores, como Cônego Raimundo Trindade, Celso Falabella de Figueredo Castro, Dr. José de Castro Azevedo, Dr. Paulo Roberto Medina, Padre Dr. José Vicente César, Professor Cláudio Heleno Machado, Professor Antonio Henrique Duarte Lacerda do Arquivo Público de Juiz de Fora, todos amparados por rica bibliografia oriunda de arquivos, jornais e livros.
Que nossas autoridades permaneçam solidárias à nossa proposta e possam endossá-las unindo esforços na tentativa de reconstrução e recuperação da historia de nossa São João Nepomuceno.
Que nossos jovens e crianças em particular possam ter em mãos um compêndio contendo um pouco de nossa história, para suas pesquisas e conhecimento e que nossos professores deste trabalho se utilizem para seus estudos e informações profissionais. Foi com este pensamento que abraçamos esta idéia e agora entregamos a todos o fruto de uma união de pensamento e esforços.

Vejamos então:
No ano de 1810 a Capela de São João Nepomuceno já existia como aplicação sendo citada na carta de nomeação do Guarda- Mor- Substituto José Antonio Furtado de Mendonça o Guarda Mor Furtado. Esta Capela pode ser considerada uma das mais antigas, fundada na parte sul da Freguesia de São Manoel de Jesus Maria. Já em 1811 a capela de São João Nepomuceno, era filial de São Manoel do Pomba.
O patrimônio da Capela de São João Nepomuceno foi constituído pelo Guarda Mor José Antonio Furtado de Mendonça e sua mulher Francisca Maria de São José, por escritura de doação em 27 de novembro de 1815 (cópia do original acervo da Fundação Cultural doação e pesquisa da historiadora Maria do Carmo Sobreira e fotos de Eduardo Ayupe).
Segundo historiadores possivelmente as terras doadas foram adquiridas por direito de posse uma vez o seu doador José Antonio Furtado de Mendonça só recebeu sua sesmaria em 10 de junho de 1819 situada no sertão do Rio Novo freguesia de São Manoel do Pomba no lugar conhecido como Ribeirão Bonsucesso na Fazenda Roça Grande, confrontando com as terras de Manoel Reis posses de João Reis e Ângelo Pereira e sesmaria de Teresa Maria de Jesus passada em 05 de março de 1818 e de nome Roça Grande ( Relata Celso Falabela em seu livro Os Sertões do Leste , escreve em Voz de São João em artigo denominado “A Historia de Minha Rua” o Dr. José de Castro Azevedo, magistrado e historiador membro do Instituto Histórico e Geográfico de Juiz de Fora. Arquivo da Fundação Cultural)
Não sabemos ao certo portanto o que levou a criação do povoado em homenagem a um santo canonizado por seu apostolado na Boêmia nascido em Nepomuk perto de Praga e sepultado em túmulo de prata na Catedral de Praga numa época em que as homenagens se estendiam aos santos de origem espanhola, italiana, portuguesa ou francesa. O que nos foi passado oralmente através dos tempos é que um dos fundadores Domingos Henriques de Gusmão cuja família era devota deste santo tenha encomendado uma imagem do santo diretamente da cidade de Praga para inauguração da Igreja (Relíquia da Igreja Matriz).
Porém o Padre Dr. José Vicente César em seu livro “Historia de Capela Nova” (acervo da Fundação Cultural) nos relata que a imagem foi levada pelo Padre Jacó, da Fazenda do Patrimônio assim chamada por ser-lhe patrimônio de sacerdócio, para cá. São João Nepomuceno era o santo de devoção da família Henriques. Já padre Jacó o padre Jacó Henriques Pereira era o primogênito do casal José Henriques e de Rosa Maria de São José, e fora nascido na Fazenda do Patrimônio. Também na fazenda do Patrimônio nasceu Domingos Henriques Gusmão que era casado com Maria Dias de Carvalho. Domingos Henriques de Gusmão era filho de Manuel Henriques Pereira Brandão segundo filho do casal José Henriques e Rosa Maria de São José, portanto sobrinho do Padre Jacó.
Já familiares de Domingos Henriques de Gusmão radicados em Caranaíba relatam que possivelmente a devoção da família ao santo provém do fato de que enchentes eram muito comum por aquelas bandas na época e São João Nepomuceno é o santo da Igreja Católica protetor contra as enchentes.
A partir daí o povoado se esvaiu pelo morro tomado por majestosos casarões até que se alcançasse a várzea, até então um verdadeiro brejo em muitos lugares.

Uma curiosidade
Conta-se também que por esse motivo algumas ruas do centro principalmente a rua Coronel José Dutra foi compactada por diversas vezes e antes de serem colocados os paralelepípedos foi coberta com grossas camadas de argila e pedra e depois compactada com rolo compressor movido a vapor. Isto sob a supervisão de André Gotti na época Superintendente de obras. (este fato recentemente pôde se comprovado com a nova canalização feita naquela rua e com a construção do novo calçadão)

Em carta enviada ao Dr. José de Castro Azevedo o consagrado historiador Cônego Raimundo Trindade afirma o seguinte sobre São João Nepomuceno em seu livro Instituições de Igrejas no Bispado de Mariana pagina 290:

A data de 01 de abril de 1841 “deve ser considerada a data de sua fundação: é a data de concessão de personalidade jurídica de São João Nepomuceno”

Então o dia 16 de maio só tem sentido religioso, pois se trata do dia do onomástico São João Nepomuceno ou o dia em que a Igreja Católica comemora o sacrifício daquele mártir.(Dr. José Azevedo ).
Foi o jornal “O Município” (jornal fundado por Dr.Carlos Ferreira Alves) que publicou um dos mais antigos trabalhos históricos que se tem noticia sobre São João Nepomuceno, trabalho esse de Ulisses C. Brandão escrito em 14 de outubro de 1897 (segundo relatos do Dr. José de Castro Azevedo em artigo publicado em Voz de São João). Relata ainda o grande historiador magistrado e professor que foi a partir de 1910, que uma lenda sobre a fundação de São João Nepomuceno começou a ser propagada e atribui tudo a imaginação fértil do consagrado e eminente juiz municipal Azevedo Correa(Irmão do poeta Raimundo Corrêa).

A lenda:
Quatro fazendeiros certa feita sonhando em fundar uma cidade resolveram que cada um deles partisse de sua fazenda seguindo todos numa mesma direção e onde se encontrassem levantariam uma capela e fundariam uma cidade. E assim fizeram e o grande encontro ocorreu no dia 16 de maio e como o dia 16 de maio é dia de São João Nepomuceno a ele consagraram a capela que fizeram erigir. Daí surgiu à cidade de São João Nepomuceno como queriam os fazendeiros.

É inegável o desenvolvimento de São João em relação aos demais que se formavam a partir da segunda década do século XIX, prova é que em 1º de abril de 1841 pela lei 202 foi criada a Vila de São João Nepomuceno. Esta é a data que deve portanto ser tomada como data de fundação do município.
O histórico de São João Nepomuceno oferecido abaixo pelos historiadores é claro ao reafirmar que São João Nepomuceno foi vitima de injunções políticas partidas das disputas de dois poderes da época ou seja o liberal e o conservador na tentativa de imporem seus prestígios.
A propósito de qualquer especulação em torno da questão não podemos omitir da historia os fatos e por isso reafirmamos que São João Nepomuceno possui 162 a serem contados a partir de 1º de abril de 1841. Data da criação do Termo ou Município.
A data de 30 de novembro de 1880 se refere à emancipação político- administrativa em forma definitiva o que levou-nos a comemorar em 16 de maio de 1980 o centenário do Município, possuindo assim 123 anos.
O dia 16 de maio é data religiosa em que a Igreja Católica comemora o sacrifício do mártir São João Nepomuceno, padroeiro do Município não havendo portanto relação alguma com a fundação do Município de mesmo nome dado em homenagem ao mártir.
Conclusão: São João Nepomuceno possui mesmo 162 anos.

Um comentário:

  1. Cláudio Heleno Machado25 de agosto de 2010 13:49

    Parabéns, José Carlos. Mais uma vez você demonstra o seu engajamento com as questões culturais de nossa região, em especial com a nossa (permita-me considerar também como minha, afinal vivo aqui) querida cidade de São João Nepomuceno. E, claro, não poderia deixar de enaltecer também o esmero e o refinamento desta sua empreitada, meu caro amigo. Um grande abraço.

    ResponderExcluir

CAPELINHA DE SANTO ANTONIO 1925

CAPELINHA DE SANTO ANTONIO 1925

CAPELINHA DE SANTO ANTONIO

CAPELINHA DE SANTO ANTONIO

NOSSAS MONTANHAS

NOSSAS MONTANHAS
UAI! SÃO AS MONTANHAS DE MINAS

TURMA DA 8ª SÉRIE DA E.M.CORONEL JOSÉ BRAZ

TURMA DA 8ª SÉRIE DA E.M.CORONEL JOSÉ BRAZ

SEM PALAVRAS!

SEM PALAVRAS!

A FABRICA DE TECIDOS

A FABRICA DE TECIDOS
FUNDADA EM 1895

ESCOLA CENTENÁRIA

ESCOLA CENTENÁRIA
ESCOLA MUNICIPAL CORONEL JOSÉ BRAZ

FANFARRA DO INSTITUTO BARROSO

FANFARRA DO INSTITUTO BARROSO
EM SEU INICIO

VISTA PARCIAL

VISTA PARCIAL
vista da matriz -São João a noite

A PREFEITURA HOJE

A PREFEITURA HOJE

O SOBRADO DE DONA PRUDENCIANA

O SOBRADO DE DONA PRUDENCIANA
O que restou da historia? UMA FOTO!!!