SÃO JOÃO NEPOMUCENO - JAN NEPOMUCKY

134 ANOS OU 173 ANOS?



Por José Carlos Barroso

Desde que começamos a estudar profundamente a historia de nosso Município muito nos intrigou as controvérsias de datas, até que levado pelas explicações e estudos do historiador e professor Cláudio Heleno Machado, resolvemos suscitar questões, sabedores de que qualquer atitude poderia estar revolucionando uma historia contada há tempos nos bancos escolares.

Foi como Superintendente da Fundação Cultural São João Nepomuceno, e no ano de 2003, que escrevendo a história do Município, seus grandes vultos, e suas instituições através dos tempos, além de algumas curiosidades, com as quais nos deparamos ao longo de nosso trabalho, é que propusemos uma reconstrução, um resgate mesmo, dos fatos históricos esperando que nossas autoridades aceitassem nossas posições e ponderações em torno da questão e se unissem e comungassem conosco desse esforço.

Infelizmente assim não entenderam, e todo o nosso esforço, foi interrompido, até que somente agora no ano de 2010, que a Fundação Cultural, acatando os nossos estudos e, ainda do historiador André Cabral, aquela proposição revolucionaria da história foi levada até nossa Câmara de Vereadores, quando então vimos coroada nossa proposição, isto em 29 de abril de 2010.

Não passam elas de simples afirmações evasivas e desconexas, são todas oriundas de profunda pesquisa e estudo além de serem embasadas no relato e conhecimento de grandes nomes e de importantes historiadores, como o Cônego Raimundo Trindade, Celso Falabella de Figueiredo Castro, Dr. José de Castro Azevedo, Dr. Paulo Roberto Medina, Padre Dr. José Vicente César, Professor Cláudio Heleno Machado, Professor Antonio Henrique Duarte Lacerda do Arquivo Público de Juiz de Fora, e agora André Cabral, dentre outros, todos amparados por rica bibliografia oriunda de arquivos, jornais e livros.

O importante é que não esmorecemos e, sempre esperamos, que nossas autoridades permanecessem solidárias à nossa proposta e pudessem endossá-las unindo esforços na tentativa de reconstrução e recuperação da história de nossa São João Nepomuceno

Para que nossos jovens, e crianças em particular pudessem ter em mãos um compêndio contendo um pouco de nossa história, para suas pesquisas, e conhecimento, e que nossos professores deste trabalho se utilizassem para seus estudos e informações profissionais, apresentamos no ano de 2003 no Jornal O SUL DA MATA, a primeira edição dessa historia tão rica.


E foi com este mesmo pensamento que abraçamos a ideia e que só agora entregamos a todos por este blog São João Nepomuceno (JAM NEPOMUCKY como o fruto de uma união de pensamentos e esforços.

sábado, 24 de dezembro de 2011

COINCIDÊNCIA QUE CAIU DO CÉU



Por Jocarlosbarroso

AS DESCOBERTAS ACONTESSE ASSIM: DEPOIS DE UMA FELIZ COINCIDÊNCIA

Certa ocasião ainda como Superintendente da Fundação Cultural “São João Nepomuceno” em visita técnica ao Museu Nacional no Rio de Janeiro, situado na Quinta da Boa Vista, e depois de encantados com as relíquias, que lá se encontram, e com o número de peças expostas que contam a história do Brasil, e a de outros paises, acabamos por cair em um salão onde me deparei em um expositor de vidro contendo uma pedra, com o nome de meteorito São João Nepomuceno.
Embora havia ainda muito por visitar, fiquei ali parado frente aquela pedra imaginando como, onde teria caído aquela pedra e, quem a havia colhido.
Embora o meteorito de São João Nepomuceno, fosse uma incógnita, comecei a escrever o que relatava do mesmo a literatura mundial até que depois de alguns anos de procura e estudos, um dia entrou em meu escritório um amigo, e conto-me um caso sobre uma pedra que havia sido encontrada por seu pai, hoje com mais de oitenta anos, isso há cerca de sessenta anos atrás na zona rural do município de Descoberto, antes pertencente a São João Nepomuceno.
Agora as coisas estavam aclarando e tudo nos levava a crer que se tratava da pedra que eu havia admirado tanto no Museu Nacional.
Depois disso pus-me novamente as buscas pela origem da pedra relíquia, quando no blog do amigo Túlio Bambino interesse-me mais uma vez sobre o meteorito, quando em um de seus artigos narrava também sobre o mesmo.
Foi aí que vimos surgir os nome da Professora Elizabeth Zacolatto, que trabalha naquele museu, que contou-lhe que o meteorito foi entregue àquela instituição em janeiro de 1960, pelo Dr. Silvio Froes de Abreu, geólogo e pesquisador, mas sem precisar as condições e circunstancias em que a pedra foi encontrada.
Contou-lhe ainda que a metade do meteorito foi levada para os Estados Unidos para analise em 1973 SMITHSONIAN INSTITUTION em Washington e suas características constam do catálogo do mesmo e ainda do catalogo do Museu Histórico de Londres sob o título: Catalogue of Meteorites = São Joaão Nepomuceno, Minas Gerais, Brasil.

A DESCRIÇÃO DO METEORITO SÃO JOÃO NEPOMUCENO

Assim como os acondritos, os sideritos são provenientes de corpos parentais cuja matéria primordial sofreu diferenciação. Este material, originário da nebulosa que formou o sistema solar e presente nos meteoritos condritos, sofreu a ação gravitacional ao longo de bilhões de anos dando origem a todos os corpos que conhecemos hoje no sistema solar como o sol, planetas, asteróides, etc.
Os sideritos são meteoritos provenientes do núcleo desses corpos parentais onde o material mais pesado se concentrou como o Ferro e Níquel. Apesar de haver um grande número de meteoritos ferrosos já catalogados, a grande maioria não teve a sua queda observada. Somente uma pequena parcela das quedas observadas corresponde a meteoritos sideritos, a grande maioria é representada pelos condritos. Levando-se a conclusão que os meteoritos ferrosos são relativamente mais raros que os rochosos em nosso sistema solar.
Voltando a conversa com o meu amigo, o mesmo me relatou que depois de nossa conversa em meu escritório as coisas tomaram outro rumo, pois ele que antes havia enviado um pequeno pedaço do meteorito ao museu nacional para analise, há pouco tempo havia recebido a visita na casa de seus pais da professora Beth, Elizabeth Zacolatto, acompanhada de outro professor, que lhe afirmou que se tratava de uma parte do mesmo meteorito, como também ficamos sabendo da morte do geólogo e pesquisador Dr. Silvio Froes de Abreu,

Agora a próxima etapa será conhecer o artífice de toda esta historia, e que estaremos aqui registrando.
Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CAPELINHA DE SANTO ANTONIO 1925

CAPELINHA DE SANTO ANTONIO 1925

CAPELINHA DE SANTO ANTONIO

CAPELINHA DE SANTO ANTONIO

NOSSAS MONTANHAS

NOSSAS MONTANHAS
UAI! SÃO AS MONTANHAS DE MINAS

TURMA DA 8ª SÉRIE DA E.M.CORONEL JOSÉ BRAZ

TURMA DA 8ª SÉRIE DA E.M.CORONEL JOSÉ BRAZ

SEM PALAVRAS!

SEM PALAVRAS!

A FABRICA DE TECIDOS

A FABRICA DE TECIDOS
FUNDADA EM 1895

ESCOLA CENTENÁRIA

ESCOLA CENTENÁRIA
ESCOLA MUNICIPAL CORONEL JOSÉ BRAZ

FANFARRA DO INSTITUTO BARROSO

FANFARRA DO INSTITUTO BARROSO
EM SEU INICIO

VISTA PARCIAL

VISTA PARCIAL
vista da matriz -São João a noite

A PREFEITURA HOJE

A PREFEITURA HOJE

O SOBRADO DE DONA PRUDENCIANA

O SOBRADO DE DONA PRUDENCIANA
O que restou da historia? UMA FOTO!!!